Morre Marlene Nascimento, sobrinha de Natal da Portela e pioneira da Feijoada da Portela

Fundadora da Feira das Yabás, sambista foi destaque, baiana e, ainda, teve passagem pela Velha Guarda

A diretoria do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela lamenta informar o falecimento de Marlene Nascimento, de 80 anos, componente antiga da agremiação e sobrinha dos lendários Natal da Portela e Tia Vicentina. Ela também fazia parte do time de quituteiras da tradicional Feira das Yabás.

Marlene morreu após sofrer um infarto, na madrugada desta quarta-feira (4), no Hospital Memorial, no Engenho de Dentro, onde estava internada desde o último domingo. O sepultamento será nesta quinta-feira (5), às 13h, no Cemitério de Inhaúma. O velório começará às 10h30, na capela 6.

Ela começou a desfilar na Portela ainda criança. Seu pai, Nozinho, foi um importante membro da diretoria da escola. Ele também era dono de um bar que marcou época na Estrada do Portela, em Oswaldo Cruz, por ser ponto de encontro de compositores e outros integrantes da agremiação. Já Dagmar, mãe da sambista, foi a primeira mulher a tocar surdo numa bateria de escola de samba.

Marlene foi destaque, passou pela ala das baianas e, ainda, pela Galeria da Velha Guarda. Por conta da idade e de problemas de saúde, no entanto, não desfilava há vários anos. Ainda na juventude, chegou a ganhar o título de "Rainha da Portela". "Primeira e única. Não teve mais", contou a sambista, em entrevista para o site do jornal O Globo, em 2018.

Levada pela tia, a inesquecível Vicentina, trabalhou na cozinha do recém-inaugurado Portelão, na década de 1970, ajudando a criar a famosa Feijoada da Portela.

O presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, o vice-presidente Fábio Pavão e toda a diretoria se solidarizam com os familiares e amigos de Marlene Nascimento neste momento de dor.

Foto: Reprodução do site do jornal O Globo

Fonte.:  GRES Portela