Nota de pesar - Tacira da Portela

 

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela lamenta comunicar o falecimento de Tacira Pereira Leite, a Tacira da Portela, de 81 anos. Ela estava internada desde o último domingo (26), no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, após sofrer um AVC. Segundo familiares, a sambista desenvolveu uma pneumonia e faleceu nesta quarta-feira (29).

O sepultamento será realizado nesta sexta-feira (1º), às 14h30, no Cemitério de Inhaúma. Não haverá velório.

Considerada a segunda intérprete de sambas-enredo da história da Portela, depois de Tia Surica, Tacira atuou no final dos anos 1960 e início da década de 1970. Fez história ao integrar o carro de som no desfile campeão de 1970, "Lendas e Mistérios da Amazônia", como auxiliar do intérprete oficial Avelino.

Em 1972, brilhou ao gravar três faixas no histórico LP "Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela", lançado pela Continental. Na ocasião, interpretou "Manchete" (David Correa), "Saudade" (Ventura) e "Decepção" (Ary do Cavaco), como registrou o Departamento Cultural da Portela em recente postagem no Facebook.

Moradora de Oswaldo Cruz, ela também contribuiu como costureira de fantasias de alas durante anos. Tempos depois foi se afastando das atividades da escola.

Ela deixa um filho, uma neta e dois bisnetos.

O presidente Luis Carlos Magalhães, o vice-presidente Fábio Pavão e toda a diretoria da Portela lamentam a morte de Tacira e se solidarizam com seus familiares e amigos.

*** Texto publicado originalmente no Facebook oficial da Portela, no dia 30 de abril de 2020, às 22h32 

Fonte.:  www.gresportela.com.br