PM não autoriza Bloco da Favorita e abertura do Carnaval 2020 fica ameaçada

 

Por Redação SRzd

Tão esperada pelos sambistas, a abertura do Carnaval 2020, marcada para este domingo (12), em Copacabana, pode não acontecer. A Polícia Militar indeferiu o pedido de apresentação do Bloco da Favorita, uma das atrações da festa e responsável pelo organização do evento. Em documento assinado na última sexta-feira (3), a PM alega que o prazo mínimo de 70 dias de antecedência para solicitar a realização da apresentação não foi respeitado.

+ Riotur anuncia que Carnaval 2020 terá 50 dias

A abertura oficial da folia carioca é um evento da prefeitura, mas os custos da festa, como manutenção da estrutura e equipamentos musicais, são bancados pelo bloco. Sem a confirmação da Favorita, o evento fica ameaçado a menos de uma semana de acontecer. A Riotur só manteve palco do Réveillon, banheiros químicos e posto médico em Copacabana graças ao acordo com o bloco para a viabilização da festa do dia 12 de janeiro.

Além da Favorita, está marcado para este domingo (12) a final do Concurso da Corte Real do Carnaval Rio 2020. A decisão, planejada para o palco do Réveillon, elege Rei Momo, Rainha e duas Princesas da folia carioca. Outras atrações musicais também são esperadas para o evento, que tomaria tarde e noite de Copacabana.

+ Conheça os candidatos finalistas a Rei Momo 2020

+ Conheça as candidatas finalistas a Rainha do Carnaval 2020

Procurada pelo SRzd, a Riotur não respondeu até o fechamento da reportagem.

Moradores de Copacabana são contra apresentação do bloco

Além da Polícia Militar, quem também não é favorável à apresentação do Bloco da Favorita é a Sociedade Amigos de Copacabana, que representa os moradores do bairro da Zona Sul. Eles entraram com uma representação junto ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro solicitando o embargo da passagem do bloco pelo bairro, com base na falta de autorização da PM.

“Não somos contra o evento de abertura do Carnaval. O que sempre fomos contra foi à escolha da apresentação do Bloco da Favorita, que, nos seus desfiles de 2017 e 2018, causou inúmeros transtornos fora do razoável no bairro”, disse Horácio Magalhães, presidente da Sociedade Amigos de Copacabana.

Fonte.:  www.srzd.com