Novo presidente da galeria da Velha Guarda da Portela exalta missão da instituição

 

'A maior colaboração que a Velha Guarda dá à sua escola é guardar a sua memória e tradição', diz Aimoré Azevedo

Eleito novo presidente da Galeria da Velha Guarda da Portela no dia 23 de novembro, Aimoré Cândido Azevedo terá a missão de comandar o tradicional segmento até novembro de 2021. Carioca de 1º de setembro de 1954, ele chegou à Portela no final de 1974. Seu primeiro desfile  foi em 1975, na Ala Mil, do diretor social Laerte Pereira, quando ajudou na confecção da fantasia ao fazer cordões com "lágrimas de Nossa Senhora", que foram aplicados na roupa. "O enredo foi 'Macunaíma', com samba de autoria do David Correa", recorda Aimoré.

Depois de desfilar em outras alas e assumir a presidência da Universitários, ele se aproximou da Velha Guarda em 2011, tornando-se membro efetivo em 2013. Na Galeria, ele ocupou função de Segundo-Secretário, Primeiro-Secretário, além de outros cargos administrativos. Em 2016, disputou a eleição para a presidência do segmento e terminou empatado com Roberto Camargo. Na ocasião, como Camargo era mais velho, assumiu a presidência, ficando Aimoré no cargo de vice.

No bate-papo a seguir, ele aborda a recente eleição, revela planos e fala sobre a histórica sede da Estrada do Portela 446, conhecida como Portelinha, berço de tantas glórias da Azul e Branco.

- Quem são os novos diretores da Velha Guarda e quais seus cargos?

Foram eleitos para a presidência Aimoré Cândido de Azevedo, tendo Roberto Camargo na vice-presidência. A Secretária é Márcia Baptista Marinho, com Pedro Nunes da Silva e Tércio Cândido de Azevedo na Tesouraria. Márcia Baptista Marinho também ficou com o cargo de diretora do Departamento Social e, no Departamento Feminino, estão as colegas Leni da Rocha D'Almada e Cleonice Vianna. Nosso diretor de Patrimônio é Carlos Alberto Soares e, para o Departamento Comercial contamos com Osvaldo Veiga. Já nosso representante na Associação das Velhas Guardas do Estado do Rio de Janeiro é Álvaro Albano.

- Quais são as atribuições da Galeria e como ela colabora com a Portela?

Não há uma atribuição específica. Quando chegamos à Velha Guarda já passamos por vários setores na agremiação. Ser da Velha Guarda é receber uma honra. A maior colaboração que a Velha Guarda dá à sua escola é guardar a sua memória e tradição, levar a sua escola onde quer que vá, com o seu comportamento ilibado, bem vestidos e com respeito, além de demonstrar muito amor ao nosso pavilhão.

- O que a Galeria da Velha Guarda tem feito para se manter ativa?

Somos muito ativos. Administramos a Portelinha e realizamos eventos durante todo o ano, como bailes, festas, almoços, festa junina e baile pré-carnavalesco. Alugamos a sede para terceiros e compartilhamos a Portelinha com a Portela para eventos culturais, divulgação de sinopse e ensaios de alas coreografadas, além das atividades do projeto do Mestre Galo, que forma mestre-salas e porta-bandeiras.

- O que a gestão anterior não teve tempo executar ou terminar, mas que será feito ou terminado nesta gestão?

A atual administração é continuidade da anterior. Reformamos a Portelinha e iniciamos a sua regularização fiscal. Ainda há pendências que vamos resolver neste mandato.

- Como a Velha Guarda se relaciona com os departamentos da Portela?

Da melhor forma possível. Com respeito e colaboração, sempre. Quando solicitados e se possível atendemos as demandas dos segmentos, cedendo a Portelinha ou facilitando a sua utilização por eles. Somos uma família reunida em torno da nossa bandeira.

- De que forma as pessoas são escolhidas ou convidadas para fazer parte do segmento?

Tradicionalmente não "convidamos" ninguém para ingressar na Galeria. A pessoa que pretenda fazer parte da Velha Guarda precisa solicitar seu ingresso via currículo, com seu histórico de participação ativa na Portela por pelo menos 30 anos. Não basta ser ou ter sido torcedor fervoroso. Tem que ter no mínimo desfilado nas alas da escola ou ter exercido algum cargo na administração. Além disso, precisa ter 60 anos de idade no mínimo, conforme prevê nosso Estatuto Social.

- Existe algum projeto de resgate ou levantamento da memória da Velha Guarda?

Existe a vontade de fazê-lo. Nossos livros de atas antigas estão extraviados. Entendemos que cada ata escrita é um capítulo da nossa rica história. É fonte inesgotável de consultas. Não é um trabalho fácil de se fazer e necessita de pessoas com tempo disponível e conhecimento de como proceder com mídias de consulta.

*** Entrevista feita por Marcello Sudoh, presidente do Consulado da Portela no Japão



Crédito da foto: Paulo Henrique Souza (PH)
Legenda: Novo presidente da Galeria da Velha Guarda, Aimoré Azevedo (à esquerda) posa com o vice Roberto Camargo

 

Fonte.:  www.gresportela.com.br